A manutenção da bicicleta elétrica é tão importante como uma bicicleta normal e dela irá depender a longevidade dos seus componentes bem como do valor de revenda da sua E-bike.

Os travões, a corrente, os raios e os aros da e-bike são particularmente solicitados, especialmente em cidades com piso e geografias tão peculiares como Porto. Mesmo se os travões tiverem um papel fundamental de um ponto de vista de segurança, a bateria também deve ser inspecionada regularmente. É por isso essencial, para a sua segurança, conforto e para a longevidade da sua e-bike, um controlo e uma manutenção cuidada.

A maioria das e-bikes estão equipadas com travões de disco. É recomendado ajustá-los a intervalos regulares ao nível dos punhos. As pastilhas dos travões de disco conservam-se facilmente 1500 km ou mais, exceto, se costuma andar com reboque ou na montanha, nestas condições a distância encurta-se para 1000 km ou menos.

Especial atenção: às inclinações, os seus travões da sua bicicleta elétrica serão fortemente solicitados. Após desgaste, as pastilhas encontram-se usadas e não travam, a sua troca deve ser realizada antes de chegar a este ponto, sempre num atelier especializado devido às afinações necessárias. Se colocar gordura na corrente e no desviador. Os discos e as pastilhas dos travões nunca devem estar em contacto com gordurasDeve utilizar um spray caso os travões façam barulho devido ao frio do inverno.

Para compreender o grau de desgaste dos travões, verifica-se o travão posterior com uma lanterna. Efetivamente esta é a melhor forma de conseguirmos ver o estado dos travões. Caso verifique o desgaste assimétrico das pastilhas, estas devem ser substituídas sem demora.

Uma corrente suja envelhece muito rapidamente. Assim, é recomendado limpá-la todos os 300/400 km. A areia e a sujidade são fáceis de eliminar com produtos específicos para limpar correntes. Pode limpar a corrente com um pano seco até o metal brilhar. Utilizar um óleo apropriado, fluído ou espesso segundo o tipo de utilização, para olear ou lubrificar a corrente limpa. Segundo o tipo de produto, a aplicação poderá variar, em todo o caso, é preferível olear pouco do que demasiado, pois o óleo agarra a sujidade.

Relativamente à duração da corrente, esta depende da utilização que faz da sua e-bike. Pode durar entre 1000 e 1500 km, exceto se andar com reboque de transporte ou para crianças. Verifica-se então uma distensão e os dentes do prato pedaleiro desgastam-se mais. Os dentes usados já não vão puxar a corrente e não conseguirá mudar de velocidade.

Nestas condições, está na hora de trocar de corrente antes que a despesa fique mais cara ao estragar pedaleiro e/ou cassete.

Subir passeios ou andar num piso irregular a altas velocidades pode maltratar raios e jantes. Se não tivermos o devido cuidado, pode ocorrer que um raio se desaperte ou parta. A roda começa a torcer-se. Os raios que não se encontram devidamente fixados podem ceder sob a pressão. Uma chave para apertar os raios pode ser a solução para fazer a manutenção apropriada, evitando assim acidentes. Porém é indispensável a devida calibragem da roda por pessoal qualificado para tal operação. Encher regularmente e corretamente os pneus também evita que raios e jantes se estraguem. Utilizar uma bomba manométrica indica a pressão exata, sendo que pode verificar a pressão necessária ou máxima diretamente no pneu. Pneus vazios representam um risco e não protegem os raios contra os choques e trepidações. Investir numa bomba manométrica custa-lhe cerca de 50 € e permite-lhe fazer uma manutenção em casa adequada dos seus pneus, assegurando um enchimento preciso em dois minutos. Pneus mais cheios e, portanto, firmes são ideais para e-bikes urbanas com rodas finas para cidades com piso regular (min.4, optimal 5/6 bars), para e-BTT o enchimento depende da utilização (entre 1-3 bars). Salvaguarda-se que uma otimização da pressão dos pneus depende sempre do peso do e-biker.

Saiba que o enchimento dos pneus com a pressão certa permite de otimizar a autonomia da sua e-bike e limitará o risco de furos. A pressão ideal está frequentemente marcada nos pneus. Contudo, se tiver algum furo, tenha consciência que é mais complexo intervir numa roda motorizada (conexões, peso da roda…). Existem sempre soluções de reparação sem desmontar a roda câmara de ar linear, gel obstruente… mas, mais simples para evitar estas situações desagradáveis, sempre pode optar por pneus de alta qualidade com proteção anti-furos, estes têm uma longevidade superior em comparação com outros modelos.

Para concluir, verifique regularmente o estado dos pneus, o nível de desgaste e eventuais anomalias apresentadas devido a choques ou inserção de objetos cortantes.

Espreitar pontualmente que os cabos e conetores se encontram nos seus devidos lugares, em bom estado e que não estejam a estragar-se devido a fricções. Não hesite em visitar um especialista para que estes desgastes não se acentuam.

Sem dúvida um dos elementos mais fiáveis numa e-bike. As últimas gerações são sólidos e praticamente sem falhas e portanto não precisa de grande manutenção. Porém, aquando da compra da sua e-bike, escolha o motor com desempenho adequado à sua utilização.

Não se esqueça que nunca deve manipular só uma bateria. Se uma bateria mexe de forma estranha, saiba que a fixação pode ser reajustada, se aquecer demasiado aquando da carga deve informar imediatamente o vendedor.

Caso não utiliza a sua e-bike em períodos prolongados, por exemplo no inverno, é preferível guardá-la num local suficientemente isolado a nível térmico. Se ficar no exterior, coloque uma proteção contra a chuva e retire a bateria.

Esta deve ser conservada numa temperatura ambiente que pode ir dos 14 aos 22ºC. Dependendo dos modelos e marcas, as baterias descarregam-se após estarem paradas por mais de 6 meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.